Facebook icon
Twitter icon

SPTrans diz que operação do Bilhete Único estará regular até fim da semana

07/02/2014 - 15:26


Posto de atendimento na Rua XV de Novembro, no Centro de São Paulo. Por volta das 13h30, quase cem pessoas aguardavam na fila. (Foto: Paulo Toledo Piza/G1)

A São Paulo Transporte (SPTrans) reconheceu, na noite desta quinta-feira (6), que houve "problemas em etapas de cadastramento e revalidação do Bilhete Único do Estudante". A empresa diz esperar que todos os ajustes sejam concluídos e as operações ocorram normalmente até o final desta semana. Muitos estudantes reclamaram durante o dia de falhas no site e problemas para carregar os créditos do cartão. 

Segundo a empresa, nesta quinta-feira “os problemas restringiram-se a apenas 2% dos usuários desde o início do processo”. A SPTrans informa, ainda, que já foram solucionadas questões como acesso ao cadastro, emissão de boletos e recepção de e-mails. Confira a íntegra da nota divulgada pela empresa:

“A SPTrans reconhece que houve problemas em diferentes etapas do processo de cadastramento e revalidação do Bilhete Único do Estudante. As dificuldades, contudo, estão sendo superadas e, nesta quinta-feira, dia 6, já é possível dizer que os problemas restringiram-se a apenas 2% dos usuários desde o início do processo.

Já foram solucionadas questões como acesso ao cadastro, emissão de boletos e recepção de emails. Outros ajustes ainda estão sendo feitos nos sistemas e a expectativa é de que até o final desta semana todas as operações sejam feitas normalmente. Vale lembrar que, a partir desta sexta-feira, dia 7, será possível carregar a cota do Bilhete Único Mensal.

O posto da Rua 15 de Novembro é o central da SPTrans e é onde está localizada a base de dados do Bilhete Único, o que torna mais  eficiente a solução de cada problema.

A SPTrans orienta os estudantes a entrarem no site bilheteunico.sptrans.com.br e lerem atentamente as instruções do Material Explicativo. Casos pontuais devem ser enviados por email para o endereço bilheteunico@sptrans.com.br. A companhia recomenda ainda que os estudantes verifiquem nas escolas se seus cadastros já foram enviados à SPTrans.  Vale reiterar que estudantes que tiveram problemas continuarão podendo adquirir cotas referentes aos dias retroativos. 

O sistema de bilhetagem eletrônica em São Paulo não recebe investimentos desde 2004, quando foi criado. Nos últimos anos, o sistema recebeu apenas adaptações e não foi modernizado. Por conta disso, a SPTrans também deu início, em 2013, a uma nova licitação. Esta licitação está em fase de conclusão e permitirá a modernização completa da bilhetagem eletrônica atual a custos menores e com a inclusão de novas operações.”


Opções de pagamento
Os estudantes que pretendem usar o Bilhete Único em 2014 têm a opção de revalidar o cartão utilizado no ano passado ou solicitar um novo, com isso, poder aderir ao Bilhete Único Mensal Estudante. Entretanto, qualquer uma das opções deve ser feitas no site da São Paulo Transporte (SPTrans). Depois, é preciso pagar o boleto em um banco ou em lotéricas.

Com o Bilhete Único Mensal, os alunos podem fazer quantas viagens quiserem nos ônibus (ou no Metrô e trens de São Paulo) pagando tarifa de R$ 70. Já quem pretende fazer integrações precisa pagar R$ 140 para usar ônibus, no Metrô e trens no mesmo deslocamento.

Problemas na colocação de créditos
Pais e estudantes reclamam de problemas na hora de optar pela modalidade de pagamento ou ainda de cadastros incompletos no site da SPTrans. O cobrador Paulo Aparecido Ribeiro de Carvalho, de 52 anos, diz que não conseguiu ainda colocar crédito no Bilhete Único Mensal da sua filha, uma estudante de 16 anos do Ensino Médio.

“Eu fiz o cadastramento e não consigo fazer a recarga com a tarifa do Bilhete Único Mensal. Só consegui colocar (crédito) no sistema antigo”, afirmou. No Bilhete Único de Estudante, única opção para os alunos até o ano passado, o estudante pagava meia passagem a cada viagem.

A filha do cobrador estuda em duas escolas diferentes e faz curso de espanhol aos sábados. “Para mim, não compensa. O novo [o Bilhete Único Mensal de Estudante] é mais vantajoso. No sistema antigo, eu gastaria R$ 90. Com o novo, R$ 70”, conta.

Após várias tentativas de fazer a recarga pela internet, ele foi ao Terminal AE Carvalho, onde recarregou as cotas, mas não conseguiu informações de quando o sistema permitiria, enfim, recarregar como Bilhete Único Mensal.

Ele foi se informar em um posto da SPTrans, na Rua XV de Novembro, no Centro. ”É um absurdo. Eu fiquei 3 horas na fila e desisti, porque a fila não anda”, diz.   


Cotas
A dificuldade da comerciária Marta Fonseca, de 48 anos, é revalidar o Bilhete Único de Estudante, que o filho já utilizava no ano passado. “Eu tento de manhã, de tarde, de noite e de madrugada e não consigo. Aparece a possibilidade de recarregar como Bilhete Único Mensal, mas, para mim, não compensa.

Desde o começo das aulas, ele está pagando passagem integral”, afirmou. A comerciária diz que na página da SPTrans aparece que a escola onde o filho estuda não forneceu as informações. “Mas isso não é verdade. A escola já disse que fez o cadastro do meu filho e, pelo telefone 156, já me informaram que os dados do meu filho estão cadastrados, sim”, disse.

A advogada Soraia França, de 38 anos, também teve dificuldades esse ano para conseguir o Bilhete Único de Estudante do filho. “Na verdade, eu poderia ter apenas revalidado o bilhete antigo. Assim, em dois dias eu poderia colocar as cotas necessárias. Eu fui mal informada na escola do meu filho e acabei solicitando um novo. Agora preciso esperar mais cinco dias para ele chegar”, disse.

Em Santana, na Zona Norte, ela foi orientada a procurar o posto da SPTrans na Rua XV de Novembro. “Disseram para mim em Santana que eles não tinham informações. Então fui até o Centro. A fila estava imensa. As pessoas ficaram na rua sob o sol, passando muito calor. Fiquei na fila duas horas e meia e não consegui retirar senha para atendimento. Acho que eles poderiam fazer alguma triagem”, afirmou.